quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Dos "Cadernos de Poesia": Letter From the Blessed Friday



Vai, minha deliciosa tempestade, trabalha
e tece, enquanto a semana tece em ti os seus dias,
tentáculos de luxo e promessas, sob a fina
urdidura de tuas vestes - minha potestade, meu álibi
para almejar o que há de mais belo, meu fauno
de mármore, minha vitória alada, meu oráculo
anunciador de maravilhas, dize então
a quem devo indagar quando voltas -
aos deuses enfastiados em seus pedestais
ou àquela estrada que se abre à nossa frente?
Pois já não tenho o poder de inventar saudades,
já não existem os dias sem ti (todos eles -
imaginados ou vividos - nos pertencem),
sóis e luas te levam e te trazem a salvo,
sempre a salvo, meu amor, para que estejas
em casa, quando o telefone tocar.


Words by Livia Soares

Image: Painting by Jennifer Nehrbass
(somewhat modified)

10 comentários:

Graça Pires disse...

Uma belíssima carta de amor, Lívia.
"Pois já não tenho o poder de inventar saudades,
já não existem os dias sem ti". Gostei muito. Um beijo.

Mésmero disse...

Não desanime! A fria sombra da lápide, que a todos acolhe, se aproxima com vagar como uma nuvem negra que vem chegando silenciosamente para provocar a fenomenal tempestade em sua vidinha de merda.

Não me lembro bem por que, mas escrevi isso em 2007.


Beijos!

anareis disse...

Estou fazendo uma campanha de doações para criar uma minibiblioteca comunitaria na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todos.Doações no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos.Meu e-mail asilvareis10@gmail.com

Carlos Henrique Leiros disse...

Lívia;

Sua poesia vem nos remeter, invariavelmente, às sensações que experimentamos nos momentos em que supomos estar diante da consumação de todas as glórias, ou seja, frente aos pequenos milagres proporcionados pela vida.
.
Um poema denso, profundo, e - o que é melhor - com imagens raras.
.
Abraço do
Carlos

mdsol disse...

Lívia:
As suas palavras são poderosas, lúcidas e... tão humanamente frágeis.
Parabéns
:)))

Tinta Azul disse...

Querida Lívia
Como sempre é um prazer ler suas palavras. Depuradas. Simples na aparência mas profundas.

Um abraço
:)

jorge disse...

Belo poema pelo sentimento e pelo garimpo delicado das palavras.

Jorge Elias

Analuka disse...

Caríssima Lívia, um passeio por aqui é sempre um delicado prazer: recolho em teu jardim mel e poesia, encantamento, doçura e suavidade! Beijos alados, querida.

shintoni disse...

Visitei seu blog e gostei muito do que você escreveu. Já está nos meus Favoritos!
Por isso, gostaria de convidar você a participar do blog “Duelos Literários”, no qual as pessoas criam textos sobre temas de sua escolha e os textos são postados no próprio blog.
Passe por lá e, se gostar da proposta, participe!
http://duelosliterarios.blog.terra.com.br
Um abraço e parabéns pelo seu blog!

Analuka disse...

Caríssima Lívia, é um imenso prazer passear por aqui! Estão lindos, deliciosos teus escritos. Será que permites que eu publique algo teu lá em meu blog? Apreciei muito o que escreveste sobre o sono e os sonhos... Abraços alados!