segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Dos "Cadernos de Poesia": Pensas que Não Sei Andar de Salto?


perdoa-me por ser sentimental

mas vou te contar um milagre

eu tive um dia perfeito

e tu não estavas nele

não sei como poderei dizê-lo

não sei se aquilo pode ser traduzido

mas pela primeira vez em muitas luas

eu estive mancomunada com o destino

meu desejo cortejou as circunstâncias

e foi sempre bem-vindo

afiei as garras em outros veludos

aprendi novos passos de dança

e o fruto da perfeição se desprendeu

e deslizou em minha boca, simplesmente

porque havia chegado o seu dia

e por causa desse dia perfeito

aprendi a amar a imperfeição dos outros dias

com seus punhais agudos e tesouros ocultos

onde já não estás, e nem assim

eu consigo apagar do rosto este meio-sorriso

de quem encontrou seu lugar:

no meio do redemoinho

à beira do próximo êxtase
Words by Lívia Soares
Photo by José Boldt

9 comentários:

JuanBM disse...

Hacer de lo difícil y de lo imperfecto una experiencia vital positiva donde encontrar esos pequeños milagros cotidanos. Pequeñas islas desde donde mirar la vida de otra manera.

Saludos

Benó disse...

É a primeira vez que visito o seu blog e li o seu poema que me tocou sinceramente. É bom lermos alguma coisa e sentirmos algo que nos toca. Parabéns pela sua sensibilidade.

Ch disse...

Minha cara;
Certamente que estou diante de um dos melhores poemas já transcritos aqui. Nele podemos nos encontrar a cada verso, numa espécie de paulatina incorporação. E ao final, a idéia que persiste é a de que estamos de pé, em plenitude.
Ou, como diria Augusto, de "que ninguém doma o coração do poeta" [se não for assim, é bem semelhante...minha memória nunca foi lá essas coisas].
Também não consigo me arredar daquela frase..."um dia, no futuro, seremos enfim reconhecidos como os imaculados"...[lembra-se disso? ah ah ah ah ah]
Abraços do
Carlos

Edna B. disse...

Cara Lívia
Quero que perdoe minhas faltas aqui,dei uma olhada na frase do mês, e muito me encantou.

Hoje, surpresa com seus versos,e muito chamou a atenção o título, "Pensas que não sei andar de salto?" gostei Lívia, é isso mesmo, apesar de tudo, nós com esses corações poéticos demais, estamos sobrevivendo, caminhando...
lembrei-me de sua frase "caminhando em direção da luz", não é assim? apesar de tudo sigamos em frente"...no meio ao redemoeinho, a beira do próximo êxtase"
perfeito!

abraços

Vieira Calado disse...

O poema revela grande sensibilidade
e está muito bem redigido.
Bom fim de semana.

Bruxinhachellot disse...

"Aprendi a amar a imperfeição dos outros dias..."

Um poema que nos faz refletir.

Beijos de Sol e de Lua.

PoesiaMGD disse...

Não há imperfeição na tua poesia!
Deixo um abraço e um convite:

http://www.escritartes.com/forum/index.php?referredby=3

Tania disse...

"Meu desejo cortejou as circunstâncias"...

Cara Lívia,

Que bonito! Li esse poema uma e outra vez... e que sensação de estar dentro de um dia novo, novinho em folha... e o bom de um dia assim, é ele ser como um milagre - você bem o diz - sem sequer precisar de explicações...

Um abraço grande e bom fim de semana.

José Boldt disse...

Minha querida Amiga

O seu blog é meu local de passagem obrigatória, li o seu poema no dia em que o publicou, e é um dos poemas mais bonitos que li ultimamente.
Lindissimo quando diz "afiei as garras em outros veludos aprendi novos passos de dança".
Violento quando "eu tive um dia perfeito e tu não estavas nele".
Este poema tem tudo para nos mexer por dentro.
Quanto à fotografia minha Querida Livia, como é que se pode agradecer uma coisa destas ?

um abraço e obrigado
josé boldt